A GRANDE FISSÃO
Mensagem de Kryon através de Lee Carroll
Austrália (2), 14 de março de 2010

 

Saudações, meus amados, eu sou Kryon, do Serviço magnético.

Este é um lugar doce nesta hora vespertinas, neste lugar chamado Melbourne. Vedes que eu sei onde eu estou. Não há nenhum mistério aqui. Os seres humanos gostariam de elevar aquilo que é Deus, aquilo que é Espírito, aquilo que é inato, a uma plataforma bem alta. Os seres humanos desejam colocar nas nuvens a energia do que vós chamais Espírito. É um pouco separado da humanidade. Essa é a coisa mais segura para vós. É segura porque então, quando chega o tempo para se orar àquela entidade divina que reside no céu, vós podeis estar separados. A ideia de que vós podeis ser juntos, que um possa ser o outro, é confusa. Também é mais fácil para vós poder afirmar que vós estais em contato com um poder superior que vos eleva. É mais fácil ser carregado nas asas de um ser espiritual a um lugar de co-criação do que afirmar que pode estar dentro. Este é um lugar sagrado.

Vede, a verdade é esta: se é verdade que há divindade em cada um de vós, então isto significa que o Criador, aquilo a quem vós orais e que aquilo sobre o qual vós meditais é sempre convosco e que tudo o que vós sois e tem acontecido neste dia é conhecido. Isto significa que enquanto eu sento em frente a vós eu sei onde eu estou e isto não é um mistério. Nós não precisamos nos perguntar o que vós sois capazes de fazer, porque eu sento convosco todo o tempo. Isto muda o modo pelo qual vós pensais sobre o Espírito. Para alguns isto é reconfortante; para outros isto é terrível. Simplesmente pensai. Quando vós sentardes para meditar, quando vós decidirdes atravessar aquela ponte da vossa dimensão 3-d a um lugar multidimensional, quando vós começardes a revelar a Deus o que está em vossas mentes, vós podereis parar por um momento e saber que o que quer que esteja em vossas mentes é do conhecimento de Deus agora mesmo. Nós vos damos no passado um conselho. Nós vos demos coisas sobre as quais vós poderíeis ponderar, maneiras de orar caso vós desejásseis. O melhor conselho ainda permanece este: reconhecer o fato de que o Espírito tem estado convosco o dia inteiro. Não importam quais sejam os vossos problemas nem as vossas aflições, todos eles são conhecidos por Deus. Seria repetitivo revigorá-los, pois isto nem sequer honraria a crença de que o Espírito é convosco todo o tempo, então a melhor coisa a fazer é sentar em silêncio e se vós fôsseis dizer alguma coisa em absoluto ela então seria ‘querido Espírito, dizei o que é que eu preciso saber!’ Isto revela o assunto do ensinamento desta noite. Sabei que isto não vai ser um evento fatigante. A energia que é trazida até vós em toda a sua doçura, nisto que vós denominais “canalização”, não precisa ser uma coisa longa. Pode ser apontada. Pode ser encurtada. Pode ir direto ao ponto.

Há coisas que eu quero vos dar. Há coisas que eu quero vos dizer que vós precisais saber. Elas incrementarão a magnificência de quem vós sois. Elas revelarão o divórcio, isto quer dizer divisão que ocorre quando vós chegais ao planeta, o sistema que está aqui, os instrumentos que vós tendes por causa disso, as coisas que vós sentis intuitivamente ser verdadeiras. Todas estas coisas estão escondidas de vós. Vós precisais cavar para encontrá-las. Vós sabeis disso, porque se requer live-alvedrio, intenção que é pura, para se perguntar a questão, ir àquele lugar que está além da ponte e descobrir o que está dentro.

Em algum nível todos os sistemas espirituais majoritários sobre planeta aceitam isto: que em três dimensões todas elas exigem adesões, assinaturas, reconhecimentos, confissões, mas todas elas sãos iguais. Alguma coisa tem que acontecer porque o ser humano diz ‘eu acredito.’ Não é diferente aqui, porque esta é a intuição que vós tendes quando vós chegais. Eu vou discorrer sobre isto. Eu peço ao meu sócio [Lee Carroll] para ser devagar e específico para que vós escutais, entendeis e celebreis isso corretamente.

É duro de acreditar, mas a essência de cada um de vós, o que vós denominais “consciência”, é sagrada. Não é fabricada através de biologia. Ela chega num lugar e tempo sagrados. É dada à humanidade para fins de sacralidade e de acuidade. Permanece assim desde aquele dia até hoje. A humanidade não a tem tido a não ser desde cerca de 100.000 anos atrás, sendo somente há cerca de 50.000 anos atrás num modo ativo de eficiência. É novo. Quando vós olhardes a idade da terra, enquanto ela estava a ser preparada para vós, vereis que isso aconteceu somente aproximadamente nos últimos momentos da História. Havia uma nova mensagem e vós a celebrastes, trabalhastes com ela e vós a descobristes. Agora vós sentais aqui em frente a mim, um grupo de almas velhas.

Deixai-me falar agora, antes de nós iniciarmos o ensinamento, que aqueles que estão a escutar e a ler... Eles não estão no vosso quadro de tempo. Isto é tão quântico como ele pode ser. Estamos a falar daqueles sobre os quais há o potencial de que estão a ler e a escutar. Eu posso vê-los. E enquanto eles escutam e leem, apesar de que isso não ocorre “hoje” para eles tal como isso acontece para vós, isso ainda está no “agora” para mim. Então eu me dirijo àqueles e lhes digo: ‘escutai queridos! Isto é para vós.’ Eu posso estar numa parte bastante especial da terra. Eu posso estar num lugar no qual o meu sócio mira o céu e vê um diferente conjunto de estrelas, mas a verdade é a verdade e eu sei quem vós sois enquanto vós ledes e escutais.
Esta informação é sagrada e vós sabeis que ela é. E eu também sei quem vós sois. Vós sois eternos, todos vós. Vós sempre fostes e vós sempre sereis. Eu vos levo de volta a um lugar que vós realmente não podeis recordar. Vós não sois equipados para recordá-lo. Vós não tendes a essência necessária para relembrá-lo, porque ela se separou quando vós chegastes. Disso eu quero falar.

Eu vos levo de volta. Oh, seres eternos, vós sempre exististes comigo! Quando vós estais no outro lado do véu, vós não sois singulares. Vós não tendes nomes singulares. Quando nós dizemos que nós cantamos os vossos nomes em luz nós cantamos um coro, uma pluralidade. Vós sois partes de um Coletivo, que é Deus. E neste Coletivo há o que nós chamamos “energias nucleares de alma.” Elas não são singulares, porque estão conectadas o tempo todo. Vós costumáveis ser conectados. Quando vós sois pedaços de Deus vós pensais como o coletivo. Vós pensais como Deus-Eterno. Vós pensais como o Criador. Vós tendes uma consciência que está sempre conectada em amor. Este amor é grosso. Vós escutais a música a tocar. A música é a luz do universo, da interdimensionalidade que solta faíscas ao completo redor de vós, que canta a magnificência do coro numa canção que vós sempre reconhecereis. Música é tocada em luz. É o melhor que eu posso fazer para descrever isso. É o melhor que eu posso descrever. Vós não sois singulares. Vós não estais sós e é lindo. Vós estáveis lá quando a Terra foi criada e vós sabíeis. Eventualmente vós participaríeis novamente de um planeta de livre-alvedrio, de um novo cenário do que vós chamais humanidade. Isso já acontecera antes? Oh, sim! Escutai-me. Não há um começo de vós. Essa é a magnificência que vós precisais saber. Vós não podeis imaginar isso, porque o vosso viés é somente para a frente; nunca é para trás. O meu sócio mencionou isso a vós. Vós pensais que vós sois eternos. Vós podeis dizer, ‘eu creio no além.Eu existirei para sempre.’ No entanto, vós não podeis ir em direção oposta. Os vossos cérebros têm um tempo difícil a pensar que vós sempre exististes. Por que isso é tão difícil? Se vós podeis olhar em uma direção e dizer que vós sois eternos, podeis vós simplesmente girar e olhar em direção oposta e dizer ‘eu sou eterno!’ ? Fazei-o! Não há tal coisa como uma limitação de tempo. Não há tal coisa como uma alma a envelhecer,porque ela é a essência do Criador. Ela sempre é e nunca mudará. Ela sempre será. Isso é o que vós sois.

Eu estou convosco no Vento do Nascimento, uma frase que nós usamos antes. É um vento espiritual que sopra desde lado do véu que vós chamais “Terra’ àquilo que é interdimensional. É quase como se fosse um portal. Vós entrais desse modo. Isso é o melhor que eu posso descrever. É como nós sentimos isso. Lá estais vós em pé, como seres magníficos que vós sois. Vós sois angélicos. Então, somente por uma razão linear de ensinamento, eu agora vou descrever para vós, de um modo que vós podeis entendê-lo linearmente, o que ocorre. Para aqueles de vós que vos perguntais se o ensinamento do meu sócio irá quebrar energia quântica para torná-la passos, eis a linearidade diante de vós! Tal coisa não tem linearidade nenhuma. É um método de ensino que nós damos ao meu parceiro de modo que ele irá entendê-lo. Portanto nós o faremos novamente, agora.

O que acontece quando vós nasceis? Se vós sois pedaços de Deus e vós entrais como biologia, no momento do nascimento, vos reconhecereis por um momento que vós não tendes tudo que vós tínheis quando vós éreis pedaços de Deus? Algo sucede quando vós entrais no Ventre do Nascimento. Algo profundo ocorre. Um sistema se manifesta e vós chegais como seres humanos a possuir um atributo, que vós não sabeis quem vós realmente sois; até o ponto em que vós começardes a vos examinar. Miremos este atributo do Ser Humano por um momento, até mesmo antes de eu descrever a fissão. Olhai o que sucede. Vós chegais sozinhos à 3-D. Vós sois singulares, o que é bastante diferente do modo que éreis. Vós não sois conectados. Alguma coisa está a faltar e vós sabeis disso.

Eu vos digo algo que eu somente disso a alguns grupos no passado: aos infantes é dada uma dispensação de graça, então não é muito sufocante nem assustador. Os infantes, nos seus primeiros seis meses de vida, podem ver pedaços e partes do outro lado do véu. Eles observam a esquina e sorriem. Eles são só sorrisos enquanto eles observam a Família, a interdimensionalidade e a sacralidade. Eles estão seguros nos braços de Deus por alguns meses a fim de que saibam que tudo está bom, de que ainda são amados. Cada mãe na sala sabe disso porque elas viram isso em suas crianças: o olhar repleto de gozo em direção à esquina da sala onde aparentemente absolutamente nada está, mas a criança está em transe por causa disso. A genitora olha lá e nada vê. Agora vós sabeis. Tudo isso é parte de um sistema de amor para o Ser Humano. Lentamente isso desaparece enquanto o ser Humano desenvolve uma consciência, uma maturidade de uma mente que pode pensar por si mesma. A primeira coisa que ela faz é perder o que tinha. Isso começa a explicar aquilo que é solidão, solidão por Deus, pela Família. Algo está a faltar! Oh, talvez vós estais circundados por irmãos e irmãs, por padres e mães, por amigos, mas algo está a faltar. Quando vós estais na mais profunda solidão, algo está a faltar.

Então a humanidade como um todo busca o Criador. Isso então explica aquilo que é religião organizada e divina. Explica as diferentes ladeiras – como o meu sócio gosta de dizer – e prédios que vós construís para tocar a face de Deus, aquilo que é Espírito, que é organizado, que é não é organizado....A maior parte da Terra encontra um jeito de tocar a face de Deus. Talvez seja dentro do escopo da vossa realidade que às vezes vós estais ajoelhados e há adoração e prédios, palavras e mestres, canções e o que quer que vos leve de volta onde vós estejais, porque vós sentis falta de estar conectados. Agora eu vos mostro onde vós estais. Lá estais vós de pé, figurativamente, metaforicamente, como um pedaço da Criação, cada um de vos, prontos para nascerdes outra vez numa família de vossa própria escolha, com a escolha delas e as vossas escolhas antes sequer de vós nascerdes. Vós colocastes o sistema propositadamente num lugar que não é um mistério. Vós o escolhestes. Oh, há aqueles aqui a escutar e há aqueles aqui a ler isto, talvez até mesmo na sala.

‘Oh, agora eu sei que tu estás errado, Kryon! Eu jamais teria escolhida essa família!’ Oh, sim, tu a escolheste. Tu a escolheste. E talvez, somente talvez, tu a escolheste para que nela tudo fosse diferente. Tu sabes disso! O que tu fizeste com a tua família deixa uma marca neste planeta. Muda o seu atributo cármico. Muda os teus atributos cármicos. Muda a hereditariedade, que é cármica, de quem eles escolhem no futuro. Já pensaste tu nisso? Quando tu enxergas somente problemas e dramas e aquilo que é difícil, tu tens criado uma vibração que mudará o que acontece de agora em diante nesse grupo cármico. Talvez tu saísses de alguma coisa e isso tem sido difícil. Talvez tu te desassociastes de algo que tu chamas de “algo escuro”. Talvez tu pensas que tu o liberaste e escapaste. Eu quero te dizer algo, o que tu fizeste foi curá-la e tu nem sequer o sabes. Tu não sabes como isso funciona. Tu és tão singular que em teu caminho tu somente uma coisa num dado tempo. Tu não podes ver a multiplicidade do que as tuas ações vibratórias criarão num futuro que tu não podes imaginar, trabalhador da luz. Tudo o que tu faz, muda o que sucede adiante. O teu ato de sentar na cadeira hoje modifica o que acontece adiante. O ato de escutar a uma gravação ou de ler as palavras em algum lugar agora mesmo para ti muda uma vibração em algum lugar, de algum modo. Os potenciais do planeta mudam porque tu estás a olhar isto, a ouvir isto, a atender isto. Lá estás tu, como um pedaço de Deus, pronto para nascer, e tu te divides e é profundo. Eu não posso acreditar, como Kryon, quantas vezes tu já fizeste isto voluntariamente. Isto então explica porque nós lavamos os teus pés em amor, porque eu estou a olhar e a estar ciente de que a humanidade e aqueles que estão ouvindo isto, lendo isto, entendem isto, passaram por tanto. É somente o princípio. Quando tu chegas, tu renuncias voluntariamente a fim de que tu possas permanecer aqui por alguns anos. Eu te vejo fazê-lo. Eu não posso acreditar.

A primeira coisa que se separa de tua magnificência é o maior pedaço de divindade, a divindade que sabe quem tu és, que celebra o Deus, aquele que ajuda a cantar as canções, aquele que está conectado todo o tempo e tu o chamas o teu “Eu Superior.” Outros chamaram-no de Espírito Santo, mas é pessoal, pertence a ti e se separa completamente. Tu chegas com ele, mas ele é interdimensional; tu não és, ao menos não no nível de consciência. Tu podes ser quântico no DNA, mas tu não tens consciência de que há algo, que é tu em ti mesmo, que é Deus. Isso vem depois.

Eu falo àqueles que sabem disto, que ativamente procuram o Eu Superior, mas sabes tu que ele é parte de ti? Sabes tu que ele pertence a ti. Isto começa a explicar aquilo que nós dissemos antes, que quando tu começas a empurrar a porta e a questionar quem tu és, há algo maior pelo qual perguntas? Há um sistema pelo qual perguntas? Tu sentas em meditação e tu dizes ‘ querido Espírito, diga-me o que eu devo fazer!’ Tu talvez passas por um banho da emoção do amor. É porque no outro lado daquela porta há uma parte tua que é enorme, que tem o teu nome, e tem se estendido a dizer ‘segure-me! Conecte-te! Pegue-me!’ Tu não tens que mendigar para ser uma conexão com o Espírito. Tu não tens que sofrer, meu querido, porque isso é tu a quem tu pedes para te conectar. A primeira coisa que acontece é que aquilo que é sagrado e angélico, o anjo que tu és, divide-se. Então de modo linear tu podes dizer que naquele lugar de onde tu vieste, aquilo que tu consideras ser o Céu, aquilo que tu consideras ser o lugar do nascimento, tudo isto acontece instantaneamente. O Eu Superior se divide. Agora o Ser Humano linear vai dizer ‘Bem, Kryon, isto é interessante! Aonde ele vai?’ A resposta é ‘sim’, porque não há nenhum “onde”, Ser Humano, num estado quântico. Ele é o que ele é. Está sempre contigo, não importa o que se passa, e ainda assim está sempre com Deus, não importa o que aconteça. Está lá para te dar conforto. Não está numa nuvem, meus queridos. Ele vibra num nível mais alto. É mais alto. É o teu Ser. Essa é somente a primeira das três divisões, que queremos discutir nesta noite. E as outras? hum! São inacreditáveis para vós. Se vós fôsseis intitular a mensagem desta noite ela seria “A Pluralidade do Espírito Humano”. A mensagem tem sido dada em pedaços e partes. O meu parceiro até mesmo iria ensiná-la, mas esta canalização dará a sua complexidade.

A próxima coisa que se divide de ti é o que nós chamaremos de o teu “conjunto de ajudantes”, aquilo que, quando tu chegas à terra, tu linearizas os guias e anjos que pertencem a ti. Tu não gostarás desta parte, porque guias, anjos e ajudantes supostamente sabem mais do que ti; realmente não; realmente não. Eles são as partes sagradas de ti que se dividem e aparentam ser múltiplas. Guias! Quantos guias tens tu? Tu estás acostumado a dizer ‘eu tenho três. Eu tenho quatro.’ É aquela parte clássica de ti que trabalha quando tu mudas a tua taxa vibratória. Alguns guias partem e outros chegam. Essa é a tua percepção. Tu nunca entendes que eles sempre têm sido os mesmos porque eles são parte de ti. Os teus anjos, os teus guias, são tu a aparecer a ti em linearidade como ajudantes. A piada é esta: a cada vez que tu mudas a tua vibração, tu pensas que eles partem e outros os substituem. Não é assim. O que sucede é que tu modificas a tua vibração e então tu os vês diferentemente, meus queridos. Eles não são outros, não. Eles são tu em magnificência. Os humanos querem que os seus guias sejam outras pessoas; eles não são. Isto ajuda a explicar alguns tipos de sentimentos que tu tens, porque tu sentes falta deles se tú sentes que eles partiram. Tu sentes saudades deles. Não somente isso, mas tu entras em depressão quando eles não estão lá. Sabe tu disso?

Eis o mistério: é que a humanidade em geral caminha o seu tempo de vida inteiro sem engajar com eles apesar de que eles estão lá o tempo todo. Eles permanecem quietas até que tu falas e perguntas. Tu dizes ‘o que eles fazem?’ Sim. Deixe-me te dar uma dica: eles existem em teu campo de merkaba. Este é o campo de DNA que nós temos discutido. Ele existe lá e tem aproximadamente 8 metros de diâmetro. Isso é o onde ele está. Se tu queres dar um lugar, é onde ele está. Ele é responsável antes de tudo pela intuição. Isso é o que ele faz. Esse é o mapa que te ajuda a saber se deves ir para a direita ou para a esquerda, ou quando é chegada a hora de se mover em sincronicidade. É a coisa que te trouxe até aqui. Para aqueles de vós sentados nas cadeiras em frente a mim, é o que vos trouxe até aqui e o que vos fez desejar sentar em frente a Kryon. É maior do que vós pensais, a coisa que vos trouxe até aqui. Os vossos guias, os que chamais de vossos anjos, são necessários em vossos campos áuricos, em vossos campos de merkaba, em vossos campos de DNA. Eles pertencem a lá. Eles nunca partem.

Quando tu mudas vibração devido a uma epifania, uma percepção, ele aparece por um momento, porque tu estás a mudar. Deixe-me te dizer algo sobre a História à qual tu estás relacionada. Nesta cultura, eu revejo isto: era aproximadamente o pôr-do-sol no Oriente Médio há cerca de 2.000 anos atrás quando o Mestre do Amor estava pendurado naquele pedaço de madeira ao qual ele estava pregado. Ele estava aparentemente a morrer. Ele estava ao ponto de entrar num giro magnífico. No processo, aqueles que estavam ao seu redor escutaram-no dar uma declaração. Eis o homem que dissera ser o Filho de Deus, assim como vós também sois. Eis o homem que vos mostrou o que 100% de eficiência genética faz. Eis um Ser Humano que estava a vestir o manto da maestria. Ela era um mestre metafísico que vos mostrou o que vós podeis fazer quando vós contactais os vossos Eus Superiores. Eis o responsável, na vossa cultura, pela maestria. Vós vedes isso. O que ele dissera? O que foi reportado naquela hora? Ele estava prestes a mudar a sua energia. Ele levantara os seus olhos ao céu e dissera isto: ‘por que tu me abandonaste? Aonde foste tu?’ Já vos perguntastes porquê tal coisa poderia ser dita pelo Mestre do Amor (alguém tão conectado ao seu Eu Superior que ele tinha a essência do Criador enquanto ele andava de lugar a lugar e fazia os milagres que ele fazia para vos mostrar o que vós poderíeis fazer)? Por que lhe dissera aquilo? O que estava a suceder? Estava alguma coisa a dar errado? Agora vós sabeis, porque naquele breve momento, enquanto ele estava a modificar a sua energia, aparentara que tudo o que ele era o deixara. Ele sentira-se só pela primeira vez em sua vida. E tudo voltara, meus queridos. Tudo voltara. Agora vós sabeis. Estes são os vossos guias e os vossos anjos e eles estão convosco durante todo o tempo de vossas vidas. Este foi o segundo ponto.

O próximo item é o mais difícil que eu peço ao meu sócio para ensinar porque ele requer um pensamento quântico no Ser Humano, e vós não pensais desse modo. Então nós estamos a tentar criar uma linha de entendimento para que vós podeis perceber um conceito que realmente está fora do campo de possibilidade da vossa habilidade de perceber, mas nós os faremos de qualquer jeito. Tu tens uma comitiva que é tu. A palavra “comitiva” te levaria a acreditar que há uma pluralidade de energias, elas são as energias de ti com outros. É difícil de perceber. Isto é parte da fissão. É terceira parte de 3 fissões. Se tu miras a espiritualidade, se tu miras sistemas, há muita evidência do assunto da terceira fissão, das três fissões numa fissão. Procures isto, está em todas as partes. Estas são as três fissões.

Esta comitiva permanece no meu lado do véu. A parte de Deus que tu és permanece parcialmente aqui. ‘O que ela faz?’ Esta é sempre a pergunta do Ser Humano. ‘Tudo tem que fazer alguma coisa!’ Percebes tu que cada processo que tu observas...Aqueles nesta sala irão ao corredor e irão encontrar a sala onde se realizas “trabalhos de energia”. Eles irão encontrar pedras e energias cristalinas. Encontrarão processos. Tu observarás isso e irás até a mesa e a tuas perguntas serão sempre as mesmas, não serão? ‘O que isto faz?’ O quão linear de ti! Então eu te digo o que faz. Antes de eu explicar isto apropriadamente, eu vou colocar isto num quebra-cabeças. Resolvê-lo-ei ao explicar o que eles fazem. Eis o rompe-cabeças. Ide devagar, sócio meu, porque eu quero preparar isto para ti, linearmente, logicamente.

Há aqueles, a escutar, a ler, e nesta sala, que creem na habilidade deles em manifestar a sua própria realidade. Eles se livraram de suas impressões cármicas. Eles seguram firmemente o timão de suas vidas. Eles se movem de lugar a lugar usando a sua intuição. Eles estão acostumados ao fato de que sincronicidade só ocorre no último momento possível e que os humanos não gostam disso, mas eles confiam e se acham a se mover em suas vidas encontrando aqueles que devem encontrar, indo a lugares a que devem ir, e não se aborrecem quando as coisas não acontecem exatamente do modo que eles querem. Isso é manifestação. Eles criam a sua própria realidade: onde eles vivem, quem eles encontram, a família, as parcerias, os trabalhos, todas as coisas através das quais os humanos devem caminhar: pagar o aluguel, e eles manifestam isso. É um instrumento que nós sempre temos descrito. Eles vivem em júbilo e se movem facilmente entre lugares, algumas vezes de maneira cuidadosa, um lugar levando ao outro, indo a um lugar no qual podem fazer o maior bem para o planeta e ainda assim manifestam o gozo do conforto enquanto estão lá. Agora, com isso em mente, e com a lógica disso em seu lugar, eu te pergunto uma questão ética-espiritual: a não ser que tu estejas numa ilha deserta, entendes tu, ó amado Ser Humano, que, se tu co-crias para ti mesmo e manifestas a tua própria realidade, estás a afetar todos os seres humanos ao teu redor em tua situação. Já pensaste nisso?

Então enquanto tu ides adiante, talvez a um novo lugar para viver, sincronicamente com outros ou rumo a uma nova posição ou a um emprego, ou a uma nova parceria ou a um novo negócio, ou qualquer coisa que tu tens manifestado afeta um outro Ser Humano? Eis a questão ética-espiritual que eu te pergunto: o que te dá o direito de impor a tua manifestação sobre eles? Talvez tu nunca pensastes nisso? Sabes porque tu nunca pensastes nisso? Porque é uma situação na qual todos ganham (win-win situation) quando ocorre. Ninguém tem que perder para que tu ganhes. Este é um atributo humano de singularidade. É um viés. Então tu não pensas que tu estás a impor sobre a vontade de alguém, mas e se tu estás? Agora eu vou responder a esta pergunta. Isto é difícil. No outro lado do véu há esta comitiva de energia que se divide para cada ser humano singular no planeta e permanece no meu lado do véu. Pensa nisto por um momento, uma sopa de potenciais para cada Ser Humano no planeta. Isso é cooperativo, que sabe o que sucede. Agora, alguns seres humanos acordam com certas habilidades de manifestação porque eles estão cientes e desenvolvem-nas. Pode ser tú que estás a escutar ou a ler. Isso não te faz nem um pouco melhor do que qualquer outro Ser Humano. Isso só significa que tu tens procurado e encontrado aquilo que é vibracionalmente alto, aquilo que sempre tem estado lá, aquilo com o qual tu queres te conectar e te colocar num lugar onde tu podes co-criar para a humanidade. Tu pensas que tu estar a fazer isso para ti mesmo. Estás a perceber? A cada vez que tu modificas a tua própria realidade, algo acontece como resto da comitiva. Ela está ao teu redor e cooperando. Até mesmo os seres humanos que não acordaram possuem uma comitiva no outro lado do véu que sabe o que tú fazes e coopera com o que fazes. Portanto não há nenhuma questão ética sobre imposição de o que quer que seja sobre nada. O quão singular! O quão enviesado! Porque num estado quântico tudo está conectado e está a ser manifestado para os outros também. Quando tu te colocas numa nova posição, um novo lugar, entendes tu que tu espalhas luz lá. Pensas tú que foi somente tu que colocaste luz lá?

Há um sistema adiante que é enorme, Tudo O Que É, que se dividiu, e senta no outro lado do véu a observar o que tu tentas fazer e a criar a sincronicidade que tu permitirás. Estão todos juntos a te ajudar a fazê-lo. O meu sócio faz piada sobre algumas vezes. Ele te pede para pensar no “anjo do estacionamento”[Kryon ri], aquela energia que te leva a virar à direita ou à esquerda aonde há um lugar vago. Tu chegas justo a tempo de pegar o lugar de alguém que acabou de sair. Isso é isso em sua forma mais simples. Alguém perde quanto tu ages assim? Realmente? Á, há o Ser Humano que pensa linearmente, esse intelecto, que diz ‘espere um minuto, Kryon, que passa com todos aqueles que não pegaram um lugar vago? Eles perderam!’ A questão tem sido perguntada muitas vezes ‘e se todos aqueles que estão a procura de um lugar vago possuem o mesmo anjo de estacionamento?’ [ a plateia ri]. Eu te dou a resposta a pergunta. Eu te pergunto, ‘o que aconteceria se todos tivessem a habilidade de co-criar?’ Eu vou te dar a resposta e eu quero que tu a escutes. Ei-la: paz na terra. Isso é o que aconteceria. Começas a perceber?

Vós sois uma minoria e vós sempre sereis uma minoria. Jamais haverá um tempo no qual todos os seres humanos estarão acordados e saberão o que vós sabeis. Esse não é o potencial. Esse nunca foi o potencial. Menos do que a metade de 1% precisa acordar e fazer o que vós fazeis para que o resto da humanidade e a comitiva que está a cooperar convosco possam criar paz na terra. Vós sois aqueles que seguram a luz. Nem todos os navios possuem farol próprio. Vedes? Muitos navios serão guiados ao porto por um farol bastante luminoso que mantem a sua luz. Entendeis? Quantos faróis há lá e quantos navios há lá? Percebeis vós o ponto? Vós sois os faróis. Nós vos dissemos isso há 20 anos atrás. Alguns usam isso como um símbolo para o trabalho de Kryon? Que metáfora maravilhosa! Essa é a fissão1 Esse é o ensinamento de hoje! Eu não o quero complicar, dando algo mais que distorceria isto. Portanto nós encerramos.

O que vós pensareis sobre isto? Ontem, em vosso tempo, nós vos falamos sobre Elias. Nós vos contamos o que ele fizera e que em verdade Eliseu o observara ascender; não morrer, mas ascender. Vós observastes o processo. Quando Elias entrara no campo Eliseu dissera que havia um veículo ao redor de Elias. Ele dirigira uma carruagem de vida. ‘eu não posso olhá-la diretamente, porque ela é muito brilhosa!’ Ele se tornara uma imensa e impressionante bola de luz e ascendera. Agora eu vos digo o que aquilo era. Isso era Elias a recombinar as três partes. A comitiva, os ajudantes angelicais e o Eu Superior. Por um momento vós vistes um Ser Humano em sua plena capacidade. Isso sucedera propositadamente para que aqueles que fossem analisar isso vos diriam o que aquilo era. Não era Deus descendo à terra para pegá-lo, mas Deus nele a se mostrar a vós. Cada um de vós tendes isso [grifo meu]. Cada um de vós tendes isso. Escutai-me. Cada um de vós tendes isso. Eu sei disso, porque eu estava lá quando a fissão ocorrera. Há profundidade aqui. Eu tenho observado humanos há eras. Eu olho nos olhos, metaforicamente, daqueles que eu amo e têm sido parte da Essência de Deus, como eu sou, e estão a ponto de virem à terra por 3 meses, sabendo muito bem do potencial de que eles morrerão como crianças e de que o sistema foi erigido propositadamente; não foi predestinado, mas predisposto, isso quer dizer que há tão somente um potencial que depende do que suceder, mas o potencial do carma foi tão forte que na maioria das vezes é o que acontece. Vós dizes, ‘por que eles fariam isso?’ A morte de uma criança muda eventualmente a família para sempre, absolutamente para sempre. Pode ser tão debilitante que leva a família a zero, nocauteia as suas emoções a zero e os faz rastejar sobre o solo e chorar rumo a Deus, eventualmente com raiva, eventualmente em desesperação, mas sempre em amargura e então eles encontram o Eu Superior, começam uma vida completamente diferente e criam luz que não estava lá antes e que durará para o resto de suas vidas. Eles mudam o pó mesmo da terra sobre o qual eles caminham, porque eles encontraram o Espírito. Tudo porque o Ser Humano dissera, ‘fa-lo-ei. Eu virei e farei isso. Eu farei isso.’ Os pais geralmente não percebem que as crianças falecidas frequentemente voltam caso os pais permitam uma nova criança. A mesma alma. Elas voltam e dizem, ‘eu voltei!’ Pais não percebem isso, mas esse é o sistema e o processo. É profundo e é a cola de amor que segura todas essas coisas juntas para que vós possais criar luz neste planeta de muitas maneiras e em muitas direções.

A verdade é esta: uma fissão ocorre e vós passais as vossas vidas desejando-vos reconectar. Talvez isso vos trouxe até aqui, se eu posso usar aquela singularidade, para termos esta pequena conversa. Tenho eu falado convosco hoje? Ô, sim! O leitor, o observador, aqueles que estão sentados nas cadeiras deste lugar. Vós precisais escutar isso, para que quando vós vos levantardes de vossas cadeiras vós possais sair e decidir estar sós por um breve tempo no qual vós possais levantar aquela questão, ‘é realmente verdade? Sou eu tão magnífico? Sou eu rodeado por tal tipo de energia, que permite co-criação? Posso eu realmente mostrar tal tipo de luz à Terra?’ E a resposta é sim, e sim, e sim... Dada em amor neste dia.
E assim é!
Kryon.


Transcrição e tradução da mensagem ao vivo por:
Marcus Vinícius Pinheiro de Castro - <marcus.brazilianlawy18@gmail.com>

Fonte em Inglês: http://www.kryon.com/cartprodimages/download_melbourne_2_10.html 

Gostou! Indique para seus amigos.
|Topo da Página| - |Voltar Menu Kryon| |Voltar Home|