A VISÃO DE MARIA MADALENA E O DESPERTAR DO SANTO GRAAL
Por Judith K. Moore
Publicado em 11 de setembro de 2009

Eu comecei a ter visões de Jesus em 1993. Meus avós eram emigrantes Escoceses. Meu avô, Allander, veio de uma aldeia que fica à dez milhas de Rossalyn, Escócia. Eu devo estar recebendo estas mensagens devido a minha ascendência.

Em 1993, eu fui orientada a me tornar um membro da Igreja Episcopal de St. Bedes. Eu estava muito perturbada pelo poder das visões e freqüentemente recebia visões que eram validadas pelas mensagens durante as cerimônias religiosas. Era evidente que eu estava tendo uma experiência extraordinária. Eu era entrevistada e me diziam que eles sentiam que eu estava tendo uma autêntica experiência mística Cristã.

Em 1998, eu comecei a ter visões de Maria Madalena e Jesus. As visões vinham de várias formas. Freqüentemente elas eram como uma memória. Às vezes, eu incorporo Maria Madalena tão poderosamente que eu sinto as suas emoções e realmente têm um sentido de que eu estou revivendo o passado. Os arquivos estão cheios de centenas de tais visões. Histórias das pessoas nas vidas de Maria Madalena e Yeshua foram reveladas através das leituras que foram arquivadas com a permissão dos clientes. A cada vez que nós acessamos um aspecto do seu DNA, este abre um arquivo que ativa o poder no coletivo, despertando a Luz de Madalena, e elevando o véu na face do Cristo Feminino. Ela é uma profetisa e recebeu os Evangelhos Sagrados chamados de Evangelhos da Arca da Aliança. As visões me levaram à França, Israel, Egito e Escócia, para trabalhar nos lugares sagrados onde a sua energia é ainda muito poderosa.

Eu sou uma visionária. Eu sou uma mensageira de Maria Madalena, e como uma incorporação, eu experiencio a vida e as paixões de Maria Madalena, o Cristo Feminino. Eu não reivindico ser ela ou uma reencarnação dela. O propósito desta incorporação é capacitar a vibração da presença de Maria Madalena no mundo para a transformação da consciência e o nascimento da Jerusalém Dourada. Muitos dos evangelhos sagrados de Maria Madalena foram perdidos ou destruídos, entretanto, os arquivos ainda existem em outras dimensões. Através do trabalho na jornada dimensional estes arquivos sagrados podem ser acessados e restaurados nos Registros Akáshicos. A vida e a paixão de Maria Madalena subsistem e são capacitadas através do meu trabalho. Os arquivos incluem centenas de transmissões. Eles são formados de transmissões e leituras canalizadas que são arquivadas com a permissão dos meus clientes. Os arquivos elaboram um mito maior da vida de Maria Madalena e as revelações que ela recebeu. Maria Madalena as chama de Livro da Arca da Aliança.

Sob a orientação de Maria Madalena, eu viajei extensivamente ao Sul da França, Israel, Egito, Alemanha e Escócia, para ativar as geometrias sagradas na Terra e abrir os antigos arquivos secretos. Maria Madalena declarou que o Graal vive e está operando no mundo. O Graal é a força da Criação codificada no DNA e está ligado à linhagem de sangue (ascendência) das famílias de luz e à linhagem de Cristo, o qual não se limita à linhagem de sangue de Maria Madalena e de Jesus, mas está ligado à humanidade e ao despertar da Consciência Crística. A luz do Graal é chamada de Heileion. Ela pode ser usada somente para a co-criação do propósito divino. Ela não é capaz de ser usada para o "mal". Esta luz foi ativada no holograma coletivo e tem o poder de mudar o mundo. Eu não sou a única mensageira do Santo Graal. Cada mensageiro tem um propósito combinado e a tarefa de compor uma mandala de energia para a transformação do planeta. Esta descrição é uma tentativa de simplificar um vasto princípio que tem operado através do meu campo.


ODE ÀS MULHERES DE MADALENA
Por Judith K. Moore

Eu sou as muitas faces veladas de Madalena

Elevo o meu véu abaixo do qual está

O reflexo da mulher ferida

Ferida no corpo, mas poderosa na alma

Vocês me conhecem enquanto eu olho fixamente através das janelas do tempo?

Revelando a coragem do meu coração

Eu sou Madalena, uma mulher de muitas faces, mas de um coração

Eu sou as lágrimas derramadas em Mai Lia, e Ausvitch

As lágrimas das mães pelos filhos do

Vietnam e do Iraque

Eu sou as lágrimas da mãe Africana

Que não tem leite para o seu filho que morre

E as lágrimas da noiva que sonha com o amor completo

Eu estou ao lado dela enquanto ela trabalha

O trabalho de amor que estimula

Que conforta

Que ama

Incondicionalmente

Suas lágrimas são o bálsamo de cura

Eu sou a prostituta que ama a falta de encanto nos homens

E a Madre Teresa que os mantêm em seu peito e os lamentos

Eu sou a coragem e o desespero

Fé e Desesperança

Eu acendo a promessa dentro

Do seu coração

Olhe o meu reflexo e conheça as minhas muitas faces.



Tradução: Regina Drumond - reginamadrumond@yahoo.com.br

Direitos Autorais 2004 - Judith D. Moore - http://www.recordsofcreation.com/


 

Gostou! Indique para seus Amigos.

|Topo da Página| |Voltar Menu Outras Canalizações| |Voltar Home|